segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Eugénio de Andrade - 19 de Janeiro de 1923

______________________
OS SULCOS DA MEMÓRIA

O rumor do pulso, a lentidão
do mar
na dobra do lençol,
as inumeráveis
vozes do verão em ruína

- a carícia hesita entre os olhos
e a mão

Eugénio de Andrade

10 comentários:

pilantra disse...

O querido e gentil Eugénio!

Victor Oliveira Mateus disse...

Eugénio, o Grande!

pilantra disse...

Já agora vão lá ler...

http://www.a23online.com/portal/?p=1455

Cada vez gosto mais do Herberto!

Victor Oliveira Mateus disse...

Tá demais o pedido da Pilantra!


"Eu cá por mim" vou ler...

(Isto hoje tá 1 dia benenoso, carago! Ê cá sou mouro!!!)

pilantra disse...

Cuidado que vem aí a dona do castelo e nos assanha a perigosíssima gata!


( e se pedíssemos à Sofia para tocar outra?)

Pilantra disse...

A Sofia ouviu-me!...

pilantra disse...

Desculpem lá mas a URL

http://www.a23online.com/portal/?p=1455

é a reprodução de uma carta do Herberto ao Eugénio e que está publicada na «a23online».

Acho que a Inês vai gostar de ler - embora a herberteana, aqui, seja eu!... LOL

Victor Oliveira Mateus disse...

Uff! Sendo assim...

Mas eu já tinha tomado 1 valium 5

Logros disse...

Atão, meninos?!
Que forobodó é este?
A Maria Tobias já está aqui em miados perplexos...
É que nem o Herberto é mouro -é madeirense, parece-me - nem o Eugénio é tripeiro. Este nasceu perto do Fundão (Póvoa da Atalaia).

Acrescento que o Herberto é um enorme poeta.Que não é possível esquecer (os figos, a menstruação,a neve, as casas,as mães, as crianças luciferinas...) como o é o Eugénio (o canto, o corpo, a cal,os barcos, os bichos, a terra, o vento, o sol, os amantes).

Dois poetas excepcionais que temos a felicidade de ter na nossa Língua.

Abraço para os queridos amigos Vctor e Pilantra.

I.

António Silva disse...

Amiga! Como é bom passar por este se cantinho. Bom Domingo! António